Audiência pública na ALESP sobre a implementação de cotas nas universidades paulistas

Recentemente, o Supremo Tribunal Federal aprovou a constitucionalidade de uma luta histórica dos Movimentos Sociais pela inclusão nas Universidades Públicas brasileiras, mas vencemos apenas uma batalha, pois esta decisão que contempla parte da luta do povo negro por REPARAÇÕES HISTÓRICAS não obriga as universidades a implementarem o sistema de inclusão social proposto.

A luta do Movimento Negro, Estudantil e dos Direitos Humanos terá agora como missão fazer com que o Projeto de Lei 530/2004 seja aprovado na Assembléia Legislativa de São Paulo e o Projeto de Lei 180/2008 seja aprovado no Senado.

Estes 2 projetos de Lei reservarão 50% de todas as vagas das Universidades Públicas Brasileiras sejam reservadas para pessoas oriundas de escolas públicas e dentro desse percentual estarão contemplados uma parcela para a inclusão de afrodescendentes e indígenas, 2 grupos historicamente excluídos.

As Cotas Raciais com recorte social já foram implementadas em dezenas de Universidades e seus resultados são espetaculares, tendo os cotistas obtido melhores notas do que os alunos não-cotistas, e se tornam referências para a sua família, sua comunidade e cidade de origem, tornando-se o 1º universitário de seu local de nascimento e/ou crescimento. Vamos lutar sem cessar para gerar INCLUSÃO sócio-racial AGORA, enquanto melhoramos a escola pública.

Data: 22/05
Horário: 19:00

Convite NCN discussão sobre cotas