Reunião de formação da Frente Pró-Cotas Raciais na USP

Em março deste ano, o Comitê contra o Genocídio da População Negra, ocupou o Shopping Higienópolis para escancarar e dizer basta ao racismo e ao Apartheid negado na cidade de São Paulo e no Brasil. Em maio, mesma época da criação da Frente Pró-cotas Raciais em São Paulo, o mesmo Comitê saiu às ruas para lembrar que o fim da escravidão, em 13 de maio de 1888, deixou mazelas, manteve a exclusão do povo negro e que isso precisa ser mudado por meio de políticas afirmativas e de muita luta. Na ocasião, a Faculdade de Direito do Largo São Francisco foi palco para uma aula pública sobre a desigualdade que assola a população negra ainda hoje e também para a comemoração da constitucionalidade das cotas raciais nas universidades públicas brasileiras, medida aprovada no Supremo Tribunal Federal (STF) por unanimidade, no dia 26 de abril. Ainda em maio, mais precisamente no dia 31, a Congregação da mesma Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo aprovou, por aclamação, o encaminhamento de uma recomendação para que a USP adote o sistema de cotas raciais.

É ano e tempo de conquista na luta para pela igualdade racial neste país. O Núcleo de Consciência Negra (NCN), que há 25 anos pauta cotas raciais na USP para a garantia a curto prazo do acesso do negro ao conhecimento e à Educação Superior, chama a comunidade USP para a reunião de criação da Frente Pró-cotas na USP. Junte-se anos pela igualdade social e racial.

Primeira Reunião da Frente Pró-Cotas na USP

Dia 13 de junho, quarta-feira às 18h, na sede do Núcleo de Consciência Negra, região dos barracões em frente à ECA