Projetos

Consolidando seu espaço, o Núcleo realiza inúmeras atividades acadêmicas e culturais na USP, entre elas estão: o Cursinho Pré-vestibular, o Centro de Estudo de Idiomas (CEI), oficinas de cidadania que abarcam debates e palestras sobre a história e cultura afro-brasileira. Como exemplo do pioneirismo do NCN, criamos o Curso de Formação de adultos na dramaturgia negra em abril de 1999, oferecido a 120 jovens. Esses jovens assumiram o compromisso de discutir um projeto de cultura voltado para inserção da população negra no teatro. Hoje, o Núcleo permanece como pioneiro em debates sobre a cultura, história e acesso relacionados à população negra e não negra na Universidade de São Paulo e no Brasil.

Cursinho Popular

Em março de 1994, o Núcleo de Consciência Negra na USP fundou o primeiro cursinho popular para alunos afrodescentes no estado de São Paulo. Desde sua formação, o curso é oferecido regularmente em formato de longa duração (extensivo); com o objetivo de reduzir os indicadores sociais e ampliar a inclusão dos negros e afro-descendentes no ensino público superior. Desde o início, o curso Pré-vestibular foi ministrado por alunos da USP e professores voluntários. Atualmente, o Cursinho passa por um período de expansão, contendo turmas no período vespertino e noturno.

Durante o processo de aprendizagem, os alunos são motivados a questionar, esclarecer dúvidas, investigar razões, resolver problemas, assumir responsabilidades, compreender os fatos, desenvolver o pensamento crítico e não apenas exercer um papel tradicionalmente passivo de "aluno".

Centro de Estudo de Idiomas – CEI

O curso, que já existiu em outros momentos do Núcleo de Consciência Negra, foi reinaugurado no 1º Semestre de 2010 e tem disponibilidade para atender aproximadamente 120 alunos por semestre. Ele faz parte de um dos princípios do Núcleo com relação ao serviço social da instituição em um ambiente público que é, no fim das contas, de restrito acesso. O curso de línguas, bem como o cursinho pré-vestibular, reconhece que a formação educacional é um dos principais pontos para possibilitar a ascensão social. O curso também tem a pretensão de disseminar a cultura africana no Brasil e no ambiente universitário em que o NCN está. São oferecidas aulas de inglês e espanhol. Aulas de Suaíli (um dos principais dialetos da África), também já foram desenvolvidas no espaço e pretendem ser retomadas.

Biblioteca Carolina Maria de Jesus

O acervo documental da entidade (livros e revistas sobre a temática afrobrasileira) está reunido numa biblioteca batizada com o nome de uma das mais brilhantes escritoras negras do Brasil, Carolina Maria de Jesus.

A política de aquisição de livros definida contou com a orientação de dezenas de bibliotecas e com o trabalho dos frequentadores do espaço.

O NCN também possui publicações de autoria própria. Em 2003, a entidade lançou a publicação “Negras Questões - O negro na sociedade brasileira”. Recentemente, projetos como a criação de um material confeccionado pelo próprio NCN para as aulas do cursinho pré-vestibular estão entre os planos da entidade.